• AERJ ASSOCIAÇÃO

Kantar Ibope Media detalha por região o comportamento da audiência de rádio durante a pandemia



Ainda abordando o levantamento do Kantar Ibope Media sobre os impactos do consumo durante a pandemia no coronavírus, a pesquisa mostra o crescimento do consumo de mídia de alguns setores. Além disso, o Kantar Ibope Media também destacou o hábito de ouvir Rádio nas principais regiões metropolitanas do país. Com média de 71%, o índice regional de consumo de rádio durante o isolamento social é elevado nas 13 regiões metropolitanas pesquisadas, com parte dos entrevistados revelando que ampliaram o tempo destinado ao meio.


O levantamento do Kantar Ibope Media destacou o hábito de se ouvir Rádio durante o período de isolamento social devido a pandemia do coronavírus. Nas treze regiões metropolitanas pesquisadas, Fortaleza, Rio de Janeiro e Recife estão com maior índice de pessoas que pretendem manter ou aumentar o consumo de Rádio com 76%. Na média, o número alcança 71%, sendo que o Distrito Federal registrou o menor índice, com 60%, mas ainda sendo um valor elevado.


Belo Horizonte registrou 74% dos entrevistados afirmando que mantiveram ou elevaram o consumo de rádio durante o isolamento. Curitiba registrou 72% e Porto Alegre 71%. Campinas,  Salvador e Goiânia com 70% para manter ou ampliar a audição de rádio. Vitória registrou 69%, São Paulo 67% e Florianópolis com 62%.

O recorte é mais um dado referente ao relatório que o Kantar Ibope Media havia disponibilizado ao mercado no início deste mês. O tudoradio.com chegou a detalhar esse comportamento de crescimento do consumo do meio rádio, seja no dial (FM ou AM) e no digital (streaming).


Publicidade durante a pandemia


Segundo o levantamento, as campanhas publicitárias de alguns setores tiveram crescimento durante o período da pandemia. Entre os destaques foram lojas de departamento com crescimento de 60%, serviço de transporte privado com 97%, e medicamentos de gripe e resfriado com 660% de aumento na publicidade digital.

Já a diretora geral de Atendimento (Kantar), Silvia Quintanilha, focou no posicionamento e na credibilidade das marcas perante os consumidores."Em cenários de crise, as marcas precisam analisar se vão cortar custos, manter os preços ou aumentar investimentos. Independentemente dessas decisões e do ramo de atividade, as empresas precisam se alinhar às orientações das autoridades de saúde. As pessoas lembrarão como as marcas reagiram a essas orientações e os relacionamentos construídos agora, baseados em credibilidade, serão fortes e duradouros após a crise", aconselhou.


Durante o webinar "Covid-19: impactos no consumo e nas marcas no Brasil", realizado pela Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET), na quarta-feira (22), a diretora geral de Atendimento (Kantar), Silvia Quintanilha, focou no posicionamento e na credibilidade das marcas perante os consumidores. "Em cenários de crise, as marcas precisam analisar se vão cortar custos, manter os preços ou aumentar investimentos", disse. 


Quintanilha também orientou as empresas a se alinharem às autoridades. "Independentemente dessas decisões e do ramo de atividade, as empresas precisam se alinhar às orientações das autoridades de saúde. As pessoas lembrarão como as marcas reagiram a essas orientações e os relacionamentos construídos agora, baseados em credibilidade, serão fortes e duradouros após a crise", aconselhou.


Levantamento internacional


Na semana passada, a redação do tudoradio.com publicou uma matéria mostrando que o Rádio manteve o seu alcance nos Estados Unidos mesmo com as mudanças de hábitos da população durante a pandemia da covid-19. A Nielsen, em relatório divulgado recentemente, mostrou que apesar da ampliação de oferta de mídia nas residências, o rádio conseguiu ampliar o seu volume de audiência para 28% dos ouvintes. 


E diferentes dispositivos tiveram sua utilização ampliada para o consumo de conteúdos de rádio. Outro ponto forte foi a busca por informação comercial por parte da audiência. 


Além disso, outro levantamento (realizado pela Edelman) mostrou que, em meio à crise do coronavírus, mais da metade dos pesquisados, as empresas devem comunicar suas ações por meio das mídias tradicionais. O levantamento foi realizado entre os dias 20 e 23 de março. 


A pesquisa mostrou que mais da metade (53%) dos brasileiros prefere que as empresas comuniquem suas ações durante a pandemia do novo coronavírus por meios consolidados, como rádio, jornal e TV. Segundo a conclusão do levantamento, este é o momento para as marcas aparecerem em vez de se omitirem.


Com informações Tudo Rádio.

8 visualizações

Av. Nilo Peçanha, nº 50 - 24º andar / sala 2413 – Centro – Rio de Janeiro  RJ  20020-100

Telefones: (21) 3852-3910 e 2220-1711

E-mails: secretaria@aerj.com.br e aerjsecretariaster@gmail.com

Whatsapp AERJ